2 de mai de 2013

GAIOLAS

As asas do meu pensamento
se abriram,
e levantei voo,
num voo maravilhoso.
Agora eu via o mundo
assim, como os pássaros o veem.
Desfrutei do azul do céu
voando por entre as nuvens,
passei por entre matas
brincando com outros pássaros
em vôos rasantes sobre o verde mar.
Ali de cima,
tudo me parecia lindo,
mas meus olhos
logo me mostraram a verdade,
a realidade não era essa.
Vi fábricas poluindo o céu,
matando as matas onde fabricava.
Vi a poluição do mar,
vi a violência
e a destruição.
Melhor mesmo
é me entregar
e viver preso
numa gaiola qualquer.

Ricardo Moncorvo Tonet
participante do livro Palavras Vivas
maio/1989